Connect with us

Geral

Lembra-se do bug do Milénio? A Microsoft confirma que 2022 chegou com o bug Y2K22

Published

on

Alguns de vós devem-se lembrar do bug que afectou milhares de equipamentos quando passamos do ano 1999 para o ano 2000… algo muito semelhante está a afectar os servidores Microsoft Exchange e que aconteceu após a passagem do ano 2021 para 2022.

Este novo bug que já está a ser apelidado de Y2K22 está a afectar todos aqueles que ainda utilizam versões não recentes do Microsoft Exchange, como as versões 2013, 2016 ou até mesmo 2019. Esse mesmo bug já foi confirmado pela Microsoft que admitiu que tem os seus engenheiros “a trabalhar 24 horas por dia numa correcção”, que não exija que os seus clientes tenham de fazer alterações nos seus servidores locais… mas avisa que a solução pode demorar alguns dias, ou semanas, a implementar.

Este problema técnico, que agora baptizaram de Y2K22, parece estar na forma como a Microsoft nomeava as actualizações para o seu mecanismo de verificação de malware, colocando o ano, o mês e o dia (220101) antes de outro número de quatro dígitos (0001). A empresa parece usar este sistema porque quando uma actualização é nomeada “2.201.010.001” é simples verificar matematicamente qual actualização é a mais recente, pois terá o valor mais alto.

Y2K22 está a atingir milhões de utilizadores em todo o mundo

O problema parece ser que o campo em que esse número estava armazenado tinha um limite de 31 bits, o que significa que o número mais alto que poderia ser representado era 2.147.483.648 ou 2 elevado a 31. Assim que o relógio marcasse o ano 2022, esse sistema de nomenclatura iria exceder o valor máximo que poderia ser representado em 31 símbolos binários.

A empresa ainda não confirmou os detalhes técnicos, mas a sua explicação parece suportar esta teoria: “A verificação de versão realizada no ficheiro de assinatura está a causar o bloqueio do mecanismo de malware, resultando em mensagens presas nas filas de transporte.”

Uma das potenciais soluções imediatas para resolver o problema passa por desactivar o recurso de filtragem de malware, mas isso coloca os servidores, e utilizadores, a uma potencial exposição a hackers… ou seja, muito pouco recomendável.

Por agora, resta esperar por uma solução da Microsoft, que deverá estar disponível nos próximos dias, ou na pior das hipóteses, semanas.

FONTE

Este artigo foi originalmente publicado no Noticias e Tecnologia

Continue Reading
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Geral

Netflix anuncia Murderville: Uma nova série que chega já em Fevereiro

Published

on

By

Murderville é uma nova série que foi oficialmente anunciada pela Netflix, e que fará a sua estreia no próximo dia 3 de Fevereiro, em exclusivo, na sua plataforma de streaming. A série é protagonizada por Will Arnett como o detective Terry Seattle, Haneefah Wood como a chefe Rhonda Jenkins, Lilan Bowden como a legista Amber Kang e Phillip Smithey como o detetive Darren ‘Daz’ Phillips.

No entanto, a série contará com diversos convidados, entre eles grandes nomes como Annie Murphy, Conan O’Brien, Ken Jeong, Kumail Nanjiani, Marshawn Lynch e até Sharon Stone.

Em Murderville seguimos o detective Terry Seattle ( Will Arnett ), que pertence a uma divisão de homicídios. Para Terry, cada dia significa um novo caso de assassinato e um novo actor convidado famoso como sendo seu parceiro. Mas há um problema: a estrela convidada de cada episódio não recebe o roteiro. Em conjunto, o convidado a estrela convidada, terão de improvisar para resolver um caso.

Murderville estreia a 3 de Fevereiro na Netflix

Murderville é vagamente baseado na série de sucesso da BBC Three, Murder in Successville. A premissa geral é que Arnett é o detective principal, com cada celebridade convidada a protagonizar o papel do seu novo estagiário de homicídios. “Estamos basicamente a fazer Law & Order sem um roteiro”, disse Arnett ao The Hollywood Reporter.

FONTE

Este artigo foi originalmente publicado no Noticias e Tecnologia

Continue Reading

Geral

God of War para PC tem sido um sucesso

Published

on

By

Depois de uma longa espera, os PlayStation Studios finalmente disponibilizaram o adorado God of War para PC, que chegou ao Steam e à Epic Games Store no passado dia 14 de Janeiro. E após a sua chegada, ele tem se revelado um verdadeiro sucesso.

A prova disso é que o jogo já teve cerca de 60 mil jogadores a jogarem simultaneamente no Steam no dia do seu lançamento. No momento que este artigo está a ser escrito, mais de 65 mil jogadores já jogaram ao jogo simultaneamente na plataforma da Valve.

Se comparado com outros jogos dos PlayStation Studios, o God of War tem-se revelado melhor. Por exemplo, no melhor período de sempre o Horizon Zero Down teve um pico de pouco mais de 56 mil jogadores, e o Days Gone nunca conseguiu passar muito dos 27 mil jogadores.

God of War para PC já teve mais de 65 mil jogadores em simultâneo no Steam

Como esses números são exclusivos do Steam, eles não incluem as vendas do jogo na Epic Games Store, onde o Days Gone, e o Horizon Zero Down também estão disponíveis.

Originalmente, God of War foi lançado a 4 de Abril de 2018 para a PlayStation e vendeu 19,5 milhões de cópias até Agosto de 2021. A sua sequência, God of War Ragnarök , será lançada para a PlayStation 4 e PlayStation 5 ainda durante este ano de 2022.

Embora este port tenha sido feito principalmente pelo estúdio canadense Jetpack Interactive, os criadores originais do jogo no Santa Monica Studio ajudaram a supervisionar o projecto. Um programador sénior revelou esta semana que o God of War para PC estava em desenvolvimento há pelo menos dois anos.

FONTE

Este artigo foi originalmente publicado no Noticias e Tecnologia

Continue Reading

Geral

Mulher condenada a prisão por roubar 3000 iPods para estudantes

Published

on

By

Não é raro vemos agrupamentos escolares distribuir computadores, e outros dispositivos, de forma totalmente gratuita aos seus alunos, de modo a ajudá-los na sua educação, ou simplesmente para ajudar alunos que, de outra forma seriam desprivilegiados. No entanto, uma funcionária do distrito escolar de Kristy Stock, nos Estados Unidos, decidiu ficar com esses dispositivos, e revendê-los.

Segundo o Departamento de Justiça, Stock foi condenada à prisão depois que se descobriu que ela havia roubado cerca de 3000 iPods que foram inicialmente designados para serem entregues a estudantes nativos americanos. Stock roubou os iPods e revendeu os mesmos, o que fez com que tivesse ganho cerca de 800.000 dólares com esse crime.

Os funcionários do governo também descobriram durante a investigação que Stock havia apresentado declarações fiscais fraudulentas sobre o seu ordenado, resultando numa perda fiscal de 270.000 dólares. Parece que esse esquema ocorreu em 2013, enquanto Stock estava responsável por um programa para o Distrito Escolar Consolidado Central do Novo México.

iPods roubados era para os alunos

Juntamente com os seus conspiradores, Stock utilizou o dinheiro federal destinado à compra dos iPods e, em vez disso, acabou enviando-o para Maryland, onde eram vendidos no eBay por preços um pouco abaixo do preço de marcado. A própria Stock enfrenta agora 18 meses de prisão, enquanto um de seus conspiradores foi condenado a 66 meses e o outro a 366 dias.

FONTE

Este artigo foi originalmente publicado no Noticias e Tecnologia

Continue Reading

Em alta

Jokenpo - Um portal de conteúdo Nerd do grupo Experience.

January 2, 2022